Arena Corinthians apresenta novas soluções de proteção contra o contágio do COVID-19 no duelo contra o Fortaleza

Agência Corinthians


Em parceria com as empresas ComplexSys e ChromaLíquido, a Arena Corinthians desenvolveu uma série de soluções contra o contágio da COVID-19 que serão apresentadas na próxima quarta-feira (26), no jogo Corinthians x Fortaleza, às 21h30, válido pelo Campeonato Brasileiro 2020.

Desde que o Secretário de Esportes do Governo de São Paulo, Aildo Ferreira, anunciou a retomada das atividades na última semana de julho, as federações e instituições esportivas vêm se reunindo a fim de elaborar um rigoroso protocolo com diversas medidas de segurança de controle e prevenção contra a COVID-19.

“É fundamental construir um protocolo de medidas para que possamos proporcionar segurança aos atletas, colaboradores e, em breve, aos torcedores”, disse o Superintendente de Marketing, Caio Campos.

Todos os assentos das cadeiras e bancos, tanto da imprensa quanto dos atletas, foram revestidos com tecidos confeccionados a partir do fio Amni®️ Virus-Bac OFF, que possui alta tecnologia, com ação antibacteriana e antiviral, inclusive para os vírus envelopados, como são classificados os vírus influenza, herpesvírus, coronavírus, entre outros.

“O tecido produzido com o novo fio é o único indicado para uso intenso, por causa do efeito permanente da ação antiviral e antibacteriana, resistindo a atritos, higienizações e lavagens constantes, como exigem os assentos e demais revestimentos em estádios de futebol”, enfatizou Leandro Capucho, CFO da ChromaLíquido.

Também foram instalados equipamentos de raios ultravioleta UV-C, capazes de eliminar 99,99% vírus e bactérias em ambientes fechados, nos vestiários dos atletas e escadas rolantes.

Todos os ambientes foram sanitizados com 24h de antecedência, com produtos que não deixam resíduos, cheiro, mancha ou que causam qualquer tipo de alergia em humanos.

“Estamos apresentando apenas algumas das nossas soluções. Nosso objetivo é expandir esse protocolo para outras áreas e segmentos como, por exemplo, escolas, hospitais, escritórios, e demais estádios do país. Queremos tornar os ambientes mais seguros não apenas para o COVID-19, mas para outras doenças infectocontagiosas também.” disse Eduardo Franco, CEO da ComplexSys.